Caixa libera R$ 2.260 para milhares de famílias através de aplicativo: Saiba quem tem direito e como sacar

Caixa libera R$ 2.260 e você pode receber apenas por estar inscrita no CadÚnico! Não deixe essa oportunidade passar!

Caixa libera R$ 2.260 e você confere a seguir quais são as famílias que podem receber o benefício.

Esta iniciativa tem como finalidade ajudar famílias que vivem na linha da pobreza e estão inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais ou CadÚnico.

Através desse programa, no entanto, as famílias não têm apenas a oportunidade de ganhar valores como este em PIX.

Ele, na verdade, é a porta para uma série de benefícios que o governo oferece aos brasileiros, como o Bolsa Família, por exemplo.


Caixa libera R$ 2.260: veja como receber

De fato, R$2.260,00 é um valor expressivo para muitas famílias. Dessa forma, o governo busca ajudar quem está em uma situação de maior vulnerabilidade e necessita de amparo.’

Então, o primeiro passo é se certificar de que os seus dados estão atualizados no CadÚnico.

Se você não tem um cadastro no sistema, é necessário reunir alguns documentos e se dirigir ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), mais próximo da sua residência.

Pessoas passando em frente a uma agência após ver que a Caixa libera R$ 2.260
Imagem: Reprodução/Caixa

Além disso, outro critério é que a família precisa ter renda per capita de até meio salário-mínimo.

O pagamento começou no dia 20 de junho e os beneficiados têm um total de 60 dias para sacar o dinheiro.

Para conferir, as famílias devem consultar o Caixa TEM e verificar se o saldo está disponível.

Aliás, apenas uma pessoa por família pode receber o valor e a Caixa não se pronunciou em relação a um repasse no próximo mês.


Quem tem direito a se inscrever no Cadastro Único?

O CadÚnico é uma ponte que o governo encontra para ter o registro de todos os cidadãos que vivem em condição de vulnerabilidade social.

Ele se tornou indispensável para quem deseja participar de programas sociais. Desse modo, o CadÚnico dá a acesso a benefícios como:

  • ID Jovem;
  • Programa Bolsa Família;
  • Carteira do Idoso;
  • Programa Tarifa Social de Energia Elétrica;
  • Isenção de Taxas em Concursos Públicos;
  • Programa Minha Casa Minha Vida.

Portanto, podem se inscrever as famílias que vivem sobre a condição de até meio salário-mínimo per capita.

Este valor hoje é equivalente a R$707,00 por cada membro da família.

Por outro lado, quem recebe mais do que três salários-mínimos também podem se inscrever para participar de benefícios específicos.

Como fazer para se inscrever no Cadastro Único

Periodicamente cada município deve promover visitas domiciliares para cadastrar às famílias que se enquadram nos critérios de renda.

Contudo, se sua família não foi cadastrada, é necessário se dirigir a um Centro de Referência em Assistência Social (CRAS).

No ato do cadastro, uma pessoa deve ser a responsável pela família, a idade mínima deve ser de 16 anos. Assim, é necessário apresentar o CPF ou Título de Eleitor.

Há uma exceção, no entanto, para indígenas e quilombolas.

Afinal, caso não tenham CPF ou Título de Leitor, é permitido apresentar um dos documentos abaixo:

  • CPF;
  • Certidão de Casamento;
  • Certidão de Nascimento;
  • Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (RANI);
  • Carteira de Identidade (RG);
  • Carteira de Trabalho; ou
  • Título de Eleitor.

A lista acima também se aplica aos membros da família. O responsável precisa apresentar ao menos um desses documentos de cada pessoa em sua casa.

Além disso, é recomendado levar um comprovante de residência. De todo modo, não é obrigatório.

Para saber de outras novidades como esta em que a Caixa libera R$ 2.260, basta acompanhar as novidades que trazemos para você aqui no Brasileiro Trabalhador.

Moysés Batista
Escrito por

Moysés Batista