CUIDADO! Presidente da Caixa Econômica Federal faz alerta para quem tem dinheiro na poupança

O presidente da Caixa Econômica Federal, Carlos Vieira, fez um alerta importante para quem tem dinheiro na poupança. Veja o que ele afirmou.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Carlos Vieira, fez um alerta importante para quem tem dinheiro na poupança. Veja, abaixo, o que ele afirmou.

CUIDADO! Presidente da Caixa Econômica Federal faz alerta para quem tem dinheiro na poupança (Imagem: Jeane de Oliveira/ FDR)

Ele destacou que a queda nos depósitos da poupança tem gerado preocupação, especialmente em relação ao financiamento imobiliário.

Segundo Vieira, o Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), que é a principal fonte de recursos para financiamentos de imóveis, está enfrentando desafios devido à saída de recursos da poupança para outros investimentos mais rentáveis.

Vieira ressaltou que essa migração de recursos pode afetar diretamente o crédito imobiliário, tornando o cenário mais complexo a partir de 2025.

Crise na Caixa Econômica Federal?

Carlos destacou a necessidade urgente de discutir alternativas para manter a saúde do SBPE, incluindo a possibilidade de revisão do compulsório da poupança, que não é alterado desde 2018, e a securitização do mercado imobiliário. 

Além disso, o presidente da Caixa mencionou a importância de buscar estabilidade através de ativos de longo prazo provenientes do exterior.

Vieira também enfatizou a digitalização dos serviços bancários e a inclusão financeira como prioridades para a instituição, refletindo a necessidade de expansão e melhoria dos serviços oferecidos pela Caixa em todo o território nacional.

Mais investimentos

Outro ponto destacado por Vieira foi a contratação de novos funcionários, com foco na área de tecnologia, para melhorar a eficiência e a acessibilidade dos serviços bancários.

A Caixa Econômica Federal pretende continuar investindo em crédito imobiliário, com previsão de investimentos na ordem de R$ 75 bilhões, segundo Inês Magalhães, vice-presidente de Habitação da Caixa.

Ela também reforçou o sucesso do programa Minha Casa Minha Vida e as mudanças promovidas pelo Ministério das Cidades para impulsionar o financiamento com recursos do FGTS.

O que fazer com o dinheiro na Caixa?

A situação da inadimplência também foi abordada por Henriete Sartori, vice-presidente de Riscos da Caixa, que mencionou que a expectativa é de manutenção dos níveis atuais para 2024.

No entanto, a instituição tem conseguido recuperar uma grande parte das perdas através do fundo garantidor, especialmente nas operações vinculadas ao Pronampe.

Portanto, para quem tem dinheiro na poupança, é preciso ficar atento a essas mudanças e considerar as possíveis implicações para o futuro dos seus investimentos.

Poupança não é tão rentável

Investir na poupança nem sempre é a melhor escolha atualmente. Embora tenha sido um investimento tradicional e seguro para muitos brasileiros, existem alternativas mais rentáveis disponíveis no mercado.

A rentabilidade da poupança é relativamente baixa, especialmente em tempos de juros baixos. Atualmente, a poupança rende 70% da Selic + Taxa Referencial (TR).

Com a Selic em níveis baixos, a rentabilidade da poupança não supera a inflação, resultando em perda do poder de compra ao longo do tempo.

Alternativas de investimento

CDB (Certificado de Depósito Bancário):

  • Rentabilidade: Geralmente, os CDBs oferecem rentabilidade superior à poupança, com rendimentos que podem variar de 90% a 120% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário).
  • Liquidez: Muitos CDBs possuem liquidez diária, permitindo resgates a qualquer momento.

Tesouro Direto:

  • Rentabilidade: Existem diferentes títulos do Tesouro, como o Tesouro Selic, Tesouro IPCA+ e Tesouro Prefixado, que oferecem rentabilidade superior à poupança. Por exemplo, o Tesouro Selic acompanha a taxa básica de juros, garantindo uma rentabilidade mais atrativa.
  • Segurança: É considerado um dos investimentos mais seguros do mercado, por ser garantido pelo governo federal.

LCI e LCA (Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio):

  • Rentabilidade: Essas letras são isentas de Imposto de Renda para pessoas físicas e podem oferecer rentabilidades superiores a 90% do CDI.
  • Isenção Fiscal: A isenção de IR aumenta a atratividade desses investimentos em comparação com a poupança.

Fundos de Investimento:

  • Diversificação: Oferecem uma diversificação de ativos, o que pode aumentar a rentabilidade e reduzir o risco.
  • Gestão Profissional: Contam com gestores profissionais que buscam as melhores oportunidades de mercado.

Ações e Fundos Imobiliários:

  • Potencial de Retorno: Oferecem potencial de retorno elevado, mas também apresentam maior risco.
  • Dividendos: Algumas ações e fundos imobiliários pagam dividendos, proporcionando uma renda passiva.

 

Ariel França
Escrito por

Ariel França