INSS acaba com prorrogação automática do auxílio doença; confira o que fazer

INSS acaba com prorrogação automática do auxílio doença e você confere aqui qual é o último dia e detalhes sobre este recurso!

INSS acaba com prorrogação automática do auxílio doença no dia 30 de junho, neste domingo.

Para quem deseja aproveitar o último dia, no entanto, é possível usar o atendimento pelo telefone da Central, pelo número 135.

Durante este período, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) realiza a prorrogação do Auxílio Doença, sem que o beneficiado passe pela perícia médica presencial.

Esta iniciativa tem como objetivo facilitar a renovação do Auxílio Doença estava em vigor desde outubro de 2023.

A princípio, o período seria de apenas seis meses, com o fim em abril. No entanto, houve uma extensão para as pessoas que não conseguiram se inscrever antes.


INSS acaba com prorrogação automática do auxílio doença

A prorrogação automática do auxílio doença ficou disponível para quem se afastou por incapacidade temporária, sem a possibilidade de trabalhar.

O procedimento ocorre pela internet, por meio da análise de alguns documentos, como o atestado médico, por exemplo.

Um rapaz internado de olhos fechados, ele viu que o INSS acaba com prorrogação automática do auxílio doença
Imagem: Reprodução/Freepik

Por outro lado, antes de apresentar o documento a pessoa deve ter passado por perícia médica pessoalmente.

quando a pessoa pode fazer o pedido de prorrogação? O ideal é que ela realize o procedimento 15 dias antes do término do seu período de afastamento.

Além disso, o beneficiado pode renovar o pedido a cada 30 dias. Portanto, enquanto o profissional precisar, é possível pedir a renovação.

Quem tem direito a receber o auxílio-doença?

O auxílio-doença é um benefício previdenciário concedido pelo INSS, a trabalhadores que, devido a uma doença ou acidente, ficam temporariamente incapacitados de trabalhar.

Para ter direito ao auxílio-doença, contudo, o segurado precisa cumprir alguns requisitos básicos.

Primeiramente, é necessário que o segurado tenha cumprido a carência mínima de 12 contribuições mensais ao INSS.

Entretanto, em casos de doenças graves, especificadas em uma lista oficial do Ministério da Saúde e do Trabalho e Previdência Social, esse período de carência pode ser dispensado.

Além disso, o segurado deve passar por uma avaliação médica. Quem realiza esta revisão é a perícia do INSS, que visa comprovar a incapacidade para o trabalho.

Outro ponto importante é que o trabalhador deve estar afastado do trabalho por mais de 15 dias consecutivos.

Durante esses primeiros 15 dias, é a empresa que deve pagar o salário do empregado.

Após esse período, o INSS assume o pagamento do auxílio-doença, desde que a incapacidade seja comprovada pela perícia médica.

Qual o valor pago pelo INSS para auxílio-doença?

O valor do auxílio-doença leva como base a média dos salários de contribuição do segurado.

Especificamente, o INSS considera 91% dessa média, mas respeitando um limite máximo que não pode exceder o teto previdenciário.

É importante destacar também que o valor do auxílio-doença não pode ser inferior ao salário mínimo vigente.

Aliás, esse benefício tem caráter temporário e sua duração varia de acordo com o tempo em que o segurado permanece incapaz para o trabalho.

Dessa forma, não deixe de aproveitar o período, uma vez que o INSS acaba com prorrogação automática do auxílio doença! 

E aproveite também para ficar por dentro de outros direitos e novidades, por aqui, no Brasileiro Trabalhador.

Moysés Batista
Escrito por

Moysés Batista