CUIDADO! Pensionistas entram na mira do INSS e podem ter benefício cancelado

Cerca de 3 mil pensionistas do INSS do Estado do Rio de Janeiro podem ter seus benefícios cancelados a partir de julho, mas ainda dá tempo de resolver. Confira como!

Notícia urgente para quem recebe dinheiro do órgão, aposentados e pensionistas do INSS podem ter seus benefícios cancelados a partir do próximo mês (julho). O problema está ligado ao recenseamento anual e as pessoas afetadas devem resolver o mais rápido possível!

Idoso espantado olhando celular
Imagem: Freepik / Quem ainda não fez o recenseamento deve se apressar se não quiser perder seus benefícios do INSS

Rioprevidência (Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro) publicou uma notícia preocupante no começo do mês de junho para alertar sobre o recenseamento obrigatório 2023/2024.

Segundo o informe, cerca de 3 mil pensionistas podem ter seus benefícios cancelados por perderem o prazo para realizar o procedimento obrigatório, que era até o dia 31 de maio — para quem nasceu no mês de abril.

Felizmente, essas pessoas terão uma segunda chance para regularizar seus dados, mas caso não o façam podem parar de receber seus auxílios a partir de julho.

Pensionistas do INSS que não fizeram o recenseamento podem ter seus benefícios cancelados

O recenseamento nada mais é do que uma atualização cadastral obrigatória para aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Ele é uma das várias ferramentas que o governo usa para controlar e manter a integridade e transparência do pagamento de alguns dos seus principais benefícios.

Dividido em fases com base no mês de aniversário dos segurados, o recenseamento começou em 2023 e as pessoas que fazem aniversário em abril tiveram até maio de 2024 para fazer o seu.

No recenseamento da Rioprevidência, as pessoas associadas ao Fundo devem comparecer ao local e hora marcada para apresentar uma série de documentos.

Por ser obrigatório, os pensionistas do INSS que não o fizerem podem ter seus benefícios cancelados, que é o que está acontecendo agora. Uma vez cortado, para voltar a receber o benefício, é necessário regularizar a situação.

Outro detalhe importante é que pela lei o Rioprevidência tem que fazer o procedimento a cada 5 anos. Além disso, ele é presencial, ajudando a evitar golpes e fraudes.

Como fazer o recenseamento

Para fazer o recenseamento, o primeiro passo é agendar um horário pelo site da Rioprevidência e comparecer em uma das agências ou postos do Fundo.

O processo é bem simples, o beneficiário só precisa levar documentos — podem ser apresentados tanto os originais quanto uma cópia autenticada — que comprovem sua identidade no dia e horário marcado.

Segundo o órgão, entre os documentos necessários estão:

  • Identidade (RG);
  • CPF;
  • Comprovante ou declaração de residência dos três últimos meses (em nome próprio);
  • Título de eleitor, e-Título ou Comprovante de votação/ quitação eleitoral de 2022.

O procedimento acima funciona também para os pensionistas nascidos no mês de junho, que já estão sendo convocados.

Regras especiais

Pessoas em circunstâncias especiais devem fazer o recenseamento de forma diferente. Por exemplo, quem mora fora do Rio também tem que entregar coisas como a Escritura Pública de Declaração de Vida, Estado Civil e de Comprovação de Endereço.

quem mora no exterior precisa que os documentos tenham passado por um Tabelião de Notas da Embaixada Brasileira ou Consulado Brasileiro.

Pessoas que recebem do INSS, mas que têm nacionalidade estrangeira ou que não podem se locomover também têm as próprias regras. Você pode conferir todas elas no site do Rioprevidência.

Jaizon Carlos
Escrito por

Jaizon Carlos