Governo solicita R$ 700 milhões extras para o Bolsa Família; veja quem será beneficiado

O governo federal, por meio do ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Wellington Dias, solicitou um incremento de R$ 700 milhões no orçamento do Bolsa Família para 2024.

O governo federal, por meio do ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Wellington Dias, solicitou um incremento de R$ 700 milhões no orçamento do Bolsa Família para 2024. Confira, abaixo, como essa mudança vai afetar a sua vida.

Governo solicita R$ 700 milhões extras para o Bolsa Família; veja quem será beneficiado (Imagem:  Jeane de Oliveira/ FDR)

De modo geral, esse pedido vai atender aproximadamente 80 mil novas famílias afetadas pelas enchentes recentes que devastaram diversas regiões, especialmente no Rio Grande do Sul.

Dias destacou a necessidade de recursos extras devido à vulnerabilidade prolongada das famílias atingidas pelas enchentes, ressaltando que muitas delas nunca haviam precisado do Bolsa Família antes dessa catástrofe. O pedido foi formalmente encaminhado ao ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

Auxílio Abrigamento

Além do reforço no Bolsa Família, o governo federal está avaliando aumentar o Auxílio Abrigamento para famílias que perderam suas casas.

Atualmente, este auxílio é distribuído em duas parcelas de R$ 400 por pessoa, administradas pelas prefeituras locais, proporcionando uma estabilidade mínima às famílias desabrigadas.

O governo também está considerando um incentivo de R$ 8,1 bilhões para apoiar a reconstrução das áreas devastadas, como no caso do Rio Grande do Sul.

Esse valor será destinado à limpeza das cidades e à recuperação de áreas públicas, com uma proposta de utilização da mão de obra local, criando oportunidades de emprego para os afetados pelas enchentes.

Inscrição Bolsa Família Rio Grande do Sul

Para se inscrever no Bolsa Família no Rio Grande do Sul, você deve seguir alguns passos simples. Primeiramente, é necessário que a família esteja cadastrada no Cadastro Único (CadÚnico), que é a porta de entrada para diversos programas sociais do governo federal, incluindo o Bolsa Família. Veja o passo a passo:

  1. Requisitos Básicos: O principal requisito para ser beneficiário do Bolsa Família é ter uma renda familiar por pessoa de até R$ 218 por mês. Famílias que já estão cadastradas no CadÚnico e mantêm essas condições têm prioridade.

  2. Documentação Necessária: Para se cadastrar, você precisará dos seguintes documentos:

    • Para o responsável pela família (RF): CPF (preferencialmente) ou Título de Eleitor, documento de identificação com foto (RG ou CNH) e comprovante de endereço.
    • Para os demais membros da família: Certidão de nascimento ou casamento, CPF, documento de identificação com foto (RG), carteira de trabalho (se houver) e comprovante de matrícula escolar para crianças e jovens até 17 anos.
  3. Local de Inscrição: Vá até o Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) ou outro posto de atendimento do Cadastro Único mais próximo de sua residência. No dia da inscrição, apenas o responsável pela família precisa estar presente com todos os documentos mencionados.

  4. Entrevista: No CRAS, será feita uma entrevista para coleta de dados. Essa entrevista pode durar cerca de uma hora, então é importante se planejar para ter tempo suficiente.

  5. Cartão do Bolsa Família: Após a inscrição, se a família for selecionada, receberá um cartão do Bolsa Família, emitido pela Caixa Econômica Federal, que será enviado ao endereço cadastrado. Com esse cartão, é possível sacar os benefícios nas agências da Caixa, casas lotéricas e correspondentes Caixa Aqui.

  6. Compromissos de Saúde e Educação: Para continuar recebendo o benefício, as famílias devem cumprir alguns compromissos, como manter a frequência escolar mínima das crianças e jovens e seguir o calendário de vacinação. A frequência escolar mínima exigida é de 60% para crianças de 4 e 5 anos e de 75% para estudantes de 6 a 18 anos incompletos. Também é necessário realizar o acompanhamento nutricional de crianças menores de 7 anos e o pré-natal para gestantes.

Além disso, o governo federal lançou um aplicativo chamado “MOPS“, onde é possível verificar o posto de atendimento mais próximo e agilizar o processo de inscrição. Para mais informações, você pode acessar o site do Cadastro Único ou baixar o aplicativo disponível nas lojas Google Play e Apple Store​

 

Ariel França
Escrito por

Ariel França