Pix vai ganhar GRANDE atualização; veja como vai funcionar

O sistema de pagamento instantâneo PIX vai receber uma grande atualização chamada MED 2.0, desenvolvida pelo Banco Central (BC) e pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

O sistema de pagamento instantâneo PIX vai receber uma grande atualização chamada MED 2.0, desenvolvida pelo Banco Central (BC) e pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Veja, abaixo, como essa novidade vai afetar a sua vida.

Pix vai ganhar GRANDE atualização; veja como vai funcionar (Imagem: Autor desconhecido)

De modo geral, esta atualização visa aprimorar a segurança e a eficácia nas transações financeiras, principalmente em relação ao combate a fraudes.

A proposta do MED 2.0 tem como objetivo ampliar o alcance do Mecanismo Especial de Devolução (MED), facilitando a recuperação de valores transferidos de forma fraudulenta.

De acordo com Walter Faria, diretor-adjunto de Serviços da Febraban, essa medida é crucial para enfrentar as táticas sofisticadas dos fraudadores que movimentam rapidamente o dinheiro entre diversas contas, dificultando a recuperação dos valores.

Como funciona o MED 2.0 do PIX?

Atualmente, o MED permite bloquear o dinheiro apenas na primeira conta que o recebe após uma transação fraudulenta, possibilitando a contestação da transferência em até 80 dias.

No entanto, se o dinheiro já foi transferido para outra conta, a recuperação se torna mais difícil e, muitas vezes, impossível.

Com o MED 2.0, o bloqueio poderá ser aplicado em todas as camadas subsequentes de transações, aumentando significativamente as chances de recuperar os valores em casos de fraude.

Quando essa novidade será implementada?

A implementação dessa atualização está prevista para 2025, permitindo tempo suficiente para que todos os ajustes necessários sejam feitos de forma eficaz e segura.

O objetivo é não só fortalecer a integridade das operações via PIX, mas também garantir maior segurança para os usuários, assegurando que seus recursos estejam protegidos contra ações ilícitas.

Durante o evento Febraban Tech 2024, que acontecerá de 25 a 27 de junho, essa atualização será um dos principais tópicos discutidos.

O evento reunirá líderes de diversos setores para debater as inovações e desafios do sistema financeiro na era digital, incluindo a segurança cibernética e a inteligência artificial, que desempenham papéis fundamentais na prevenção de fraudes e crimes financeiros.

Crescimento do número de golpes via Pix 

Desde a criação do PIX até maio de 2024, o sistema de pagamento instantâneo no Brasil tem sido alvo de diversos golpes.

De acordo com dados do Banco Central do Brasil, o número de fraudes e golpes relacionados ao PIX aumentou significativamente.

No final de 2021, por exemplo, foram registradas mais de 2,7 milhões de tentativas de golpes envolvendo o PIX.

Esses golpes variam desde fraudes de engenharia social, onde os criminosos manipulam as vítimas para obter informações sensíveis, até o uso de softwares maliciosos para roubar dados bancários.

A criação do Mecanismo Especial de Devolução (MED) pelo Banco Central foi uma resposta a esse aumento de fraudes, buscando facilitar a recuperação de valores transferidos de maneira indevida​.

Como se proteger atualmente?

O sistema do Pix é completamente seguro, no entanto, é preciso tomar alguns cuidados para não cair em golpes. 

  • Verificar Destinatário: Sempre verifique cuidadosamente os dados do destinatário antes de confirmar a transação. Certifique-se de que o nome e os detalhes correspondem à pessoa ou empresa para quem você está enviando dinheiro​.
  • Evitar Compartilhar Dados Sensíveis: Não compartilhe informações pessoais ou bancárias via telefone, e-mail ou redes sociais. Criminosos podem usar essas informações para realizar fraudes​.

  • Autenticação em Dois Fatores (2FA): Ative a autenticação em dois fatores (2FA) em seu aplicativo bancário para adicionar uma camada extra de segurança. Isso dificulta o acesso de terceiros às suas contas, mesmo que obtenham sua senha.

  • Desconfie de Mensagens e Ligações: Fique atento a mensagens ou ligações que solicitam informações pessoais ou bancárias. Instituições financeiras legítimas nunca pedem esses dados por esses meios. Em caso de dúvida, entre em contato diretamente com seu banco através dos canais oficiais.

Ariel França
Escrito por

Ariel França